Menu fechado

Gestão de Conflitos: entenda o que é e como lidar nas organizações

Todos os ambientes estão propensos a terem conflitos. Afinal, eles são compostos por pessoas, que são diferentes umas das outras nas opiniões, valores e etc, o que nem sempre gera uma troca de opiniões de forma amigável. No entanto, isso é completamente normal e, inclusive, deve ser esperado no ambiente de trabalho.

O que mais influencia neste momento não é o conflito em si, mas a forma como é realizada a gestão dele dentro da companhia. Uma simples discordância de opiniões pode ser encerrada de forma catastrófica caso as pessoas envolvidas não saibam lidar com a situação da maneira correta. Além disso, ao contrário do que se acredita, muitos conflitos podem ser benéficos para as empresas, se transformando em um aliado para o desenvolvimento e crescimento tanto das pessoas quanto da companhia. 

O que é a gestão de conflitos?

A palavra “conflito” vem do latim “conflictus”, que significa o choque entre duas coisas, o embate de pessoas ou de grupos opostos que lutam entre si. De maneira geral, conflito é o embate entre duas forças que são contrárias. 

Para Ernesto Arthur Berg, consultor em gestão de empresas e pesquisador da área, conflitos são inevitáveis em tempos atuais, sendo, inclusive, fundamentais para o processo de crescimento da empresa em lidar com as divergências. Já para Chiavenato, consultor administrativo, o conflito ocorre quando as diferenças são somadas a uma interferência deliberada de uma das partes envolvidas. Ou seja, quando um dos envolvidos tenta alcançar seus próprios objetivos que são interligados a outra parte, o que interfere na busca por essas metas.

Muitos especialistas concordam com Berg quando o mesmo afirma que os conflitos são necessários e naturais, sendo esse “combate” entendido como uma espécie de motor que impulsiona mudanças. Contudo, vale ressaltar que é preciso estabelecer uma linha que separa os aspectos positivos de casos desnecessários, que podem causar prejuízos à empresa e aos que trabalham nela. 

E, no segundo caso citado acima, como as organizações devem lidar? Como podem evitar? O mais recomendado é utilizar as técnicas adequadas de gestão de conflitos para poder lidar com as divergências da melhor forma possível. Os líderes precisam saber como promover o diálogo e como lidar com os colaboradores envolvidos, além de entender quais são as causas do conflito. 

Quais são as principais causas de conflitos nas empresas?

De maneira geral, os conflitos em uma organização costumam ser causados por desavenças pessoais ou profissionais, divergências de opiniões e/ou empecilhos que estão afetando direta ou indiretamente a execução do trabalho de determinado colaborador ou do time. Além dos citados, são motivos de conflitos nas empresas:

  • mudanças muito rápidas em processos;
  • prazos irreais ou o não cumprimento deles; 
  • metas e objetivos divergentes;
  • má distribuição ou indisponibilidade de recursos;
  • falhas de comunicação ou interpretações equivocadas;
  • falta de informações;
  • contradição na postura da empresa em relação ao seu código de ética;
  • imposição de novas regras;
  • lideranças tóxicas;
  • abuso de poder;
  • estresse.

Quais são as formas de administrar os conflitos?

De maneira geral, a assertividade e a cooperação são consideradas as estratégias mais básicas para que os gestores possam lidar com as divergências de forma eficaz. Contudo, podemos dividir a administração de conflitos em cinco formas:

  • Integração: neste formato, é procurado o meio-termo, ou seja, uma solução que satisfaça ambas as partes. Para que dê certo é necessário que, primeiro, todos os envolvidos exponham suas visões e depois apresentem soluções. Ao final, cabe ao mediador encontrar uma maneira de equilibrar a situação.  
  • Acomodação: é quando apenas uma das partes tem seus desejos atendidos e a outra acaba por abrir mão de seus objetivos.
  • Dominação: formato em que é praticamente impossível chegar a uma solução que beneficie a todos, na dominação somente os objetivos de uma das partes são considerados prioritários. 
  • Evitamento: esse estilo, como o próprio nome sugere, usa a fuga ou a negação do conflito como uma forma de não ter que lidar com ele. Inclusive, é possível que uma das partes considere até fugir caso a situação chegue aos extremos. 
  • Compromisso: semelhante ao estilo integração, no compromisso a solução do conflito implica em as partes abdicarem de algo em prol do fim do embate. 

Quais os benefícios da gestão de conflitos eficaz?

A gestão de conflitos envolve a manutenção do clima organizacional das empresas de forma afirmativa, visto que o ambiente de trabalho positivo é um dos fatores principais que influenciam na satisfação dos profissionais, bem como na sua produtividade e na retenção de talentos. Sendo assim, a prática é vantajosa para as empresas e, para melhor entendimento da importância da gestão de conflitos, separamos os principais benefícios para começar a estruturar um programa na sua companhia. 

  • Aumento da motivação
  • Renovação do ambiente
  • Melhora no trabalho em equipe 

Como utilizar os conflitos a seu favor?

Apesar de ter uma conotação negativa, como vimos, a divergência pode apresentar efeitos positivos para as empresas. Os conflitos fazem com que as equipes despertem para a busca de soluções mais eficazes e criativas para a realização de determinada atividade. Além disso, quando conduzida da forma correta, a discordância traz à tona alguns problemas existentes e a proposta de solucioná-los da melhor maneira possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *